Comando Nuclear

Imagem

Energia e nostalgia. Esses são os dois elementos mais presentes na música feita pelo Comando Nuclear, banda brasileira de heavy metal. Com letras em português e espírito old school, a banda apresenta uma proposta musical calcada no metal dos anos oitenta, abusando da sonoridade pesada e do visual retrô. Formada em 2004, a banda atualmente conta com Ron Cygnus nos vocais, Filippe Lawmaker nas guitarras, Rodrigo Exciter no baixo e Guilherme Incitatus na bateria.

Seu debut ‘Batalhão Infernal’ foi lançado em 2006. O álbum teve ótima aceitação pelos aficcionados por metal old school e pela mídia especializada, recebendo excelentes críticas. A tour de divulgação foi extensa, com mais de cinquenta shows pelo Brasil, do sul ao nordeste do país. Durante esse período, o Comando Nuclear teve a oportunidade de dividir o palco com grandes nomes da música pesada mundial como Possessed, Tankard, Omen, Toxic Holocaust, Krisium, Torture Squad, Golpe de Estado, Made in Brazil, Stress, Taurus, Salário Mínimo, Harppia e muitos outros, além de ótimas bandas do cenário underground nacional.

Após esse período, a banda entra de cabeça na gravação do seu novo álbum. Mais experiente, soa cada mais coesa e profissional, porém sem perder as características que sempre estiveram presentes em sua sonoridade e postura, mantendo a identidade do grupo.

Albuns de estúdio:

Batalhão Infernal (2006)

Guerreiros da Noite (2011)

Harppia

Surgido em 1985 sob a onda do Rock in Rio, o Harppia gravou seu primeiro álbum, chamado A Ferro e Fogo, nesse mesmo ano. Em 1987, veio o álbum 7 . Um novo LP viria somente em 1997, o Harppia’s Flight, considerado por muitos como o melhor trabalho do grupo. O grupo teve várias formações ao longo dos anos e atualmente conta em suas fileiras com Tibério Luthier(bateria), Aya Mae (guitarra), Anderson Bosco (baixo) e Regis Madman (vocal).

Virada Cultural e Brasil Heavy Metal

Em 2008, gravou um DVD registrando o seu show ao vivo diante de 50.000 pessoas na Virada Cultural daquele ano. Em 2011, a banda contribui com uma canção na trilha sonora do documentário Brasil Heavy Metal, sendo que seu ex-vocalista, Jack Santiago, ainda participou junto com outros artistas da gravação da música-tema do filme.

Albuns de estudio:

A ferro e fogo (1985)

7 (1987)

Harppia’s Flight (1997)

Azul Limão

ImageBanda formada em 1981, no Rio de Janeiro por Vinícius Mathias (baixo), Marcos Dantas e Beto Martins (guitarras) e Sales (bateria). Esta foi a primeira formação do Azul. No meado de 1982 a banda resolve dar um tempo por não conseguir vocalista fixo e constante troca de baterista.

Marcos Dantas decide reagrupar o Azul Limão junto com o vocalista Rodrigo Esteves e conseguem estabilizar sua formação chamando Ricardo Martins (bateria) e novamente, Vinícius Mathias (baixo).

No começo de 1983, a banda lança sua primeira demo, conseqüência disso, shows com mais freqüência. A segunda demo sai também em 1983, onde se destaca a música “Não vou mais falar”, que entra na programação da extinta Rádio Fluminense FM.

O exótico e estranho nome da banda facilitou na divulgação, pois não havia explicação para tal.

No final de 1984, pelo selo B.B. Records, estiveram prestes a lançar um compacto com as músicas “Satã clama metal” e “Sangue frio”, mas o disco não saiu.

Em agosto de 1986 lançam o primeiro álbum chamado Vingança, pelo selo Heavy. Ainda que cantado em português, o disco chegou a ser mencionado em algumas revistas estrangeiras como: Kerrang e Metal Hammer.

Em 1987, pelo selo Point Rock, gravam seu segundo disco chamado “Ordem e Progresso”. Em setembro do mesmo ano, Ricardo Martins deixa o grupo para dedicar-se a projetos particulares, sendo substituído pelo grande baterista paulista Alexandre Reis.

Nos anos 90, a banda acaba em função profissional de Rodrigo Esteves, grande cantor lírico que vai dar seguimento ao seu trabalho na Europa.

Atualmente, a banda se reúne eventualmente para fazer shows quando Rodrigo Esteves vem ao Brasil.

Em agosto de 2007, Rio de Janeiro e São Paulo presenciaram esse magnífico evento, uma espécie de túnel do tempo. Os shows comemoraram o relançamento em cd do álbum “Vingança” pelo selo alemão Dies Irae. Com uma enorme receptividade, fãs de todas as idades puderam curtir esse marco histórico do metal nacional e o Azul Limão mais uma vez mostrou que Rock’n’Roll não tem idade, está no sangue, na alma, algo que vem de dentro pra fora.

Albuns de estudio:
Vingança (19986)

Thin Lizzy

ImageThin Lizzy é uma banda de hard rock da Irlanda, formanda em Dublin no ano de 1969. A banda foi liderada, ao longo de sua carreira, pelo cantor e compositor Phil Lynott, e são conhecidos por hits como “Whiskey in the Jar”, “Jailbreak” e “The Boys Are Back in Town”, todos sucessos internacionais tocados regularmente em estações de rádio especializadas em hard rock e rock clássico. Após a morte de Lynott, diversas encarnações da banda surgiram ao longo dos anos, que culminaram numa formação mais estável baseada em torno dos guitarristas Scott Gorham e John Sykes. Sykes abandonou a banda em junho de 2009.

Como líder do Thin Lizzy, Lynott compôs ou co-compôs a maior parte das canções da banda. Também foi um dos poucos negros a conseguir algum sucesso significativo no hard rock. Além de ser multirracial, a banda também se notabilizou por recrutar membros em ambos os lados da fronteira irlandesa (com membros nascidos na Escócia, Irlanda do Norte, Inglaterra e, ainda, Estados Unidos), e das comunidades católica e protestante da ilha. Sua música reflete uma ampla gama de influências, incluindo a country music, o rock psicodélico, a música irlandesa e a música tradicional folclórica daquele país; porém é classificada geralmente como hard rock ou, por vezes, heavy metal. A revista Rolling Stone descreveu a banda como “distintamente hard rock”, “muito distante da matilha zurrante de meados da década de 70”.

John Dougan, crítico do site Allmusic, escreveu que “como a força criativa da banda, Lynott era um compositor mais inteligente e perspicaz que muitos de sua classe, preferindo os dramas de amor e ódio cotidianos da classe operária, influenciado por Bob Dylan, Van Morrison, Bruce Springsteen e virtualmente quase toda a tradição literária irlandesa.” Van Morrison, Jeff Beck e Jimi Hendrix foram grandes influências durante o início da banda, e entre as influências posteriores estão os artistas americanos Little Feat e Bob Seger. Em maio de 2010 foi anunciado pelos remanescentes do thin lizzy um retorno com uma nova formação para 2011.

Albuns de estudio:

  • Thin Lizzy (1971)
  • Shades of a Blue Orphanage (1972)
  • Vagabonds of the Western World (1973)
  • Nightlife (1974)
  • Fighting (1975)
  • Jailbreak (1976)
  • Johnny the Fox (1976)
  • Bad Reputation (1977)
  • Black Rose: A Rock Legend (1979)
  • Chinatown (1980)
  • Renegade (1981)
  • Thunder and Lightning (1983)

Dorsal Atlântica

ImageA banda iníciou as atividades em 1981 quando esta tinha o nome de NESS e tocava covers de bandas de rock como por exemplo Ted Nugent, Kiss, Made In Brazil e Black Sabbath. Após esta fase, decidiram fazer sons próprios e mudaram para Dorsal Atlântica quando Carlos “Vândalo” Lopes abriu ao acaso uma enciclopédia e viu o nome Dorsal Atlântica e o adotou. A Dorsal Atlântica sempre teve um em suas músicas com letras densas e que retratam a realidade em temas diversos, problemas sociais, Carlos Lopes sempre se mostrou um ótimo letrista, conhecedor da história e de diversos assuntos.

A banda teve seu primeiro registro em um álbum split Ultimatum em 1984, com a banda Metalmorphose, outra banda carioca de heavy metal, com quem tinham uma forte amizade. Nessa época faziam um som mais calcado no heavy metal tradicional com influencias de speed metal, músicas cantadas em português com letras marcantes, como “Império de Satã” (ao contrario do que se pensa por aí não aborda satanismo, e sim a situação política do Brasil), “Princesa do Prazer” e “Armagedom”.

Em 1986 Dorsal Atlântica lança o álbum Antes do Fim, seu primeiro álbum exclusivo com mais influencias de hardcore punk, a filosofia da banda era unificar metal, punk e hardcore, sonora e ideologicamente, e foi possivelmente a primeira banda a fazer isso abertamente na América Latina. Com som do metal, as letras punks, e as linhas de vocais hardcore, o Antes do Fim foi um pioneiro no metal extremo brasileiro, um disco de death metal fortemente influenciado por bandas como Sodom, Celtic Frost,Hellhammer e Slayer. Músicas como “Caçador da Noite”, “Vorkuta”, “Joseph Mengele”, “Álcool” e “Morte aos Falsos” são consideradas clássicos do metal brasileiro.

Albuns de estúdio:

  • Ultimatum (1984)*
  • Antes do Fim (1986)
  • Dividir e Conquistar (1987)
  • Cheap Tapes from Divide and Conquer (EP) (1988)
  • Searching for the Light (1990)
  • Musical Guide from Stellium (1992)
  • Alea Jacta Est (1994)
  • Omnisciens (tributo) (1996)
  • Straight (1997)
  • Dividir e Conquistar / Searching for the Light (em CD)(1997)
  • Terrorism Alive / Ultimatum (2002)
  • Antes do Fim… Depois do Fim (2005)

Maldita

image

Maldita é uma banda carioca de metal industrial formada em meados de 2001 por erich.

Erich Mariani que produzia filmes de terror caseiros, juntamente com tarso, passou então a manifestar suas mensagens na música. a banda inicialmente chamava-se Malachi, em homenagem ao personagem de stephen king, e tinha influência de bandas como Skinny Puppy, nine Inch Nails, Metallica e sua maior inspiração Faith no More.

Em 2003, enquanto preparavam sua primeira demo, o baixista Magrão entra na banda, e no final daquele mesmo ano, Vidaut e Leo Osborne, que trabalharam na produção da demo, também ingressaram na banda. a partir daí a banda foi re-batizada como maldita.

A banda passa a se apresentar com maior freqüência e consegue um contrato com o selo Nikita, gravando seu primeiro álbum e três videoclipes. Nesse período tarso abandona a banda, entrando o guitarrista Lereu em maio de 2005, com a tarefa de substituir tarso em dois shows super importantes nestes primeiros passos da banda. Um no circo voador abrindo show do Ratos de Porão numa sexta-feira 13 e outro na semana seguinte, este sendo lançamento do seu disco de estréia mortos ao amanhecer.

A banda rapidamente ganhou espaço dentre os adeptos de som pesado e sombrio. Ganhando também notoriedade dentre os grandes nomes além de diversas aparições na MTV Brasil onde lançaram “o homem com rosto cortado” e tiveram o reconhecimento aumentado em grande fatia após o lançamento do clipe de “anatomia”, que ainda hoje é seu maior hit. a maldita encerrou o ciclo do mortos ao amanhecer com uma chuva de sangue em uma super produção no clipe de “estrela de fogo”.

Em 2007 a maldita rompe com o selo Nikita e segue trilhando seu caminho sozinha como banda independente, e foi quando, as vésperas da gravação de seu mais novo filho, o disco “paraíso perdido”, o guitarrista luis deixa a banda. Lereu, então, fica incumbido de fazer o papel sozinho, mas a banda não sentiu a saída de Luis. Ganhando ainda mais corpo e conjunto. Assim, seguiram-se as gravações do “paraíso perdido” produzido por Pedro Burckauser, na época, seu operador de som. E assim seguiu a banda até seu lançamento em julho de 2007. Trazendo consigo um respeito enorme dentre os críticos e novas ideologias para uma nova época. E isto é percebido no clipe de estréia “embaixadores da carne de amanhã” com uma forte compilação de imagens de guerra. Em seguida a maldita surpreende a todos com o lançamento de um clipe documentário. Rodado na comunidade da rocinha. O clipe de “bastardos da américa”, mostra como é difícil manter uma banda de rock dentro de uma favela, devido a cultura ser voltada para outros estilos musicais e claramente pela falta de poder aquisitivo para a compra de equipamentos.

Este ano foi marcado também pelo convite feito para a maldita abrir os dois shows de Marilyn Manson no brasil. nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Um fato curioso é que no show do Rio de Janeiro, o vocalista Erich subiu no palco portando uma réplica de um fuzil assustando até mesmo a segurança do evento. E em seguida, no show de São Paulo, Erich o fez novamente. Após as apresentações, Erich era capa de vários jornais e foi intimado a apresentar-se com a tal réplica a uma delegacia de polícia no rio de janeiro. Com tudo esclarecido, o vocalista foi liberado sem maiores problemas.

A Maldita seguiu em frente fazendo grandes shows por todo o brasil. e nos maiores festivais independentes, sempre com grande prestígio por suas conquistas como banda independente e adepta de uma música e idéias difíceis de serem digeridas.

No ano de 2009, a banda prepara-se para gravar seu novo disco, Nero. Desta vez quem assina a produção do disco é Stanley Soares, produtor de dois discos da banda brasileira de metal “sepultura” e também seu operador de som. Com esta parceria a Maldita corre agora em busca de sonoridade e de um grande nome dentro de seu gênero para guiá-los até um passo maior. Neste meio tempo, por razões ainda não muito esclarecidas, o tecladista Leo Osborne resolve deixar a banda, as vésperas do início das gravações do novo.

A banda ensaia arduamente suas novas composições e paralelamente a isto prepara-se para sua primeira turnê gringa. Em maio a Maldita parte para Europa onde faz uma bateria de 11 shows na Holanda e 1 na Bélgica. Conquistando novos fãs e admiradores desta vez, fora do brasil. E mantém viva a esperança de retornar com um disco em inglês.

Na volta pra casa, enfim, começam as gravações do Nero, sendo conciliadas com as viagens de seu produtor Stanley e com os próprios shows da Maldita como aconteceu no festival Maquinaria. Talvez este o maior momento da banda ao dividir as atenções com sua banda favorita Faith no More, Jane’s Addiction, Deftones, Sepultura e outros. Com isso o disco passou por alguns atrasos, mas nada que influencie na produção do mesmo. Pelo contrário, o disco foi cuidadosamente elaborado e veio com uma cara totalmente nova. Assim como os dois álbuns anteriores. Também muito distintos.

Álbuns de estúdio :

Mortos ao amanhecer 2005
Paraíso Perdido 2007
Nero 2010
Montagem 2012

Link do site oficial na página de download www.bandamaldita.com.br/audio.php#anc-audio

Confraria da Costa

Confraria da Costa, firme e forte nas raízes do tradicional rock n´roll do século XVI.O rock pirata vem passando de navio em navio, geração após geração, desde 1572 (setentista!).

Não se sabe exatamente em qual costa o moviento começou, mas há relatos de representantes da Confraria em Curitiba, Paraná (apesar da ausência total de costa).

Graças aos novos adventos da tecnologia, algumas músicas puderam ser passadas para o formato de cd, que foi lançado em 2010.

Manda a tradição que o som deve ser sempre acompanhado de rum.

Banda de piratas muito boa, usam Violino, Bandolin, instrumentos que geralmente as bandas não usam e assim eles conseguem  fazer um som bem diferente do que estou acostumado a ouvir. A banda pertence a cena underground de Curitiba, antigamente conhecidos por Gato Preto mudaram de nome e lançaram um CD em 2010.

Site Oficial: http://www.confrariadacosta.com.br

Link para download do album: http://confrariadacosta.com.br/cancoesr